Foot Brazilian World Magazine

Segunda-feira, 15 de Abril de 2024
Brasileiro lembra morte de técnico e faz apelo:

Inglês

Brasileiro lembra morte de técnico e faz apelo: "Não deixe de tomar sua vacina" !

Brasileiro lembra morte de técnico e faz apelo: "Não deixe de tomar sua vacina" !

IMPRIMIR
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.

     Londres 04-11-2021 

Engajado em diversas causas sociais, o atacante Richarlison voltou a usar sua voz como figura pública em prol de um objetivo. O jogador do Everton assina um texto publicado no site "The Players Tribune" no qual faz um apelo para que todos se vacinem contra a Covid-19, deixando para trás a desconfiança e possíveis medos.

Embaixador de um projeto de apoio à ciência da Universidade de São Paulo (USP), o atacante da seleção brasileira disse que sentiu ser necessário se manifestar diante das pessoas que não se vacinaram por opção. No texto, Richarlison afirma que muitas pessoas tem sido "influenciadas por informações falsas e teorias da conspiração" e lembra que "cientistas e médicos arriscaram suas vidas" em busca de um solução para a pandemia.

Publicidade

Leia Também:

 
   Leiam Mais 
 
 
 
 
 
Não tenho dúvida de que a vacina é confiável. Mas vejo que ainda tem gente com pé atrás, até mesmo alguns atletas. Uma pessoa que não se vacina pode afetar o grupo de jogadores e o clube no geral. E isso vale para qualquer área ou profissão."
— Richarlison, atacante do Everton e da seleção brasileira
 

O jogador de 24 anos compartilha dados sobre a eficácia da vacina e o impacto positivo na queda no número de casos e internações em todo o mundo. E diz que costuma perder seguidores ao fazer comentários, que alguns chamam de "lacre" - só que preferiu se manifestar por ter vidas em jogo, indicando que se conseguir influenciar um fã a se vacinar, já será vitorioso.

Ao longo do texto, Richarlison lembra os impactos da pandemia na vida de todos e também em sua rotina como atleta, como a paralisação dos campeonatos, os jogos em estádios vazios e até mesmo o fato de não ter podido viajar para defender a seleção brasileira neste ano por conta de restrições no Reino Unido.

O atacante ainda cita lembranças pessoais, como não ter ido à sua cidade natal, Nova Venécia, no Espírito Santo, durante dois anos - e não ter podido abraçar sua mãe quando enfim retornou, pois ela estava infectada pelo novo coronavírus. Richarlison ainda lembrou a morte de Tião Borboleta, seu primeiro treinador na cidade.

- Fiquei muito triste quando soube da sua morte. Ele já era um senhor... Não resistiu à doença - lembra.

Richarlison também pede que haja diálogo com as pessoas que não desejam se vacinar, que elas não sejam "tratadas como inimigos". O brasileiro afirma que é necessário tentar conversar com estas pessoas, sem "partir para o lado da agressão e da briga", mas dando testemunhos pessoais sobre a resposta do corpo à vacina, compartilhando notícias verdadeiras. E ele se manifesta a favor de restrições de circulação a não-vacinados.

FONTE/CRÉDITOS: Redação da Foot Brazilian World
Comentários: