Foot Brazilian World Magazine

Segunda-feira, 15 de Abril de 2024
Caso Indonésia: polícia abre investigação por difamação, e brasileiro é impedido de sair !

Indonésia

Caso Indonésia: polícia abre investigação por difamação, e brasileiro é impedido de sair !

Caso Indonésia: polícia abre investigação por difamação, e brasileiro é impedido de sair !

IMPRIMIR
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.

     11-12-2021 

A situação do brasileiro Alex dos Santos Gonçalves na Indonésia se complicou. Nesta sexta-feira, a polícia local notificou oficialmente o atacante, que será investigado por difamação contra o presidente de seu ex-clube, Bimo Wirjasoekarta. Desta forma, Alex está impedido de sair do país.

- Eu estava em casa e recebi um interfone falando em polícia. Entrei em desespero, a primeira coisa que me veio na cabeça foi pegar meu celular, uma bolsa. Liguei o carro e saí escondido pelo estacionamento. Depois que me acalmei, voltei, e me explicaram que era uma carta da polícia, falando que abriram o processo de investigação. Dei meu depoimento na segunda-feira, e esse processo foi muito rápido. Mostrei minhas provas, as evidências, contei minha história, mas pelo jeito não valeu a pena. Estão tentando me incriminar de qualquer forma aqui - disse Alex ao ge.

Publicidade

Leia Também:

 

Alex havia prestado esclarecimentos à polícia na segunda-feira, acompanhando por um advogado indicado pela embaixada brasileira. Ele também foi à imigração para tentar entender o processo para sair do país.

   Leiam Mais 

 

https://www.footbrazilianworld.com.br/noticia/brasileiro-destaque-do-fc-lugano-chegou-ao-oitavo-gol-na-primeira-divisao-do-pais

 

https://www.footbrazilianworld.com.br/noticia/brasileiro-rei-do-futebol-parabeniza-argentino-por-700-gols-bem-vindo-ao-clube

 

 
 
 

Na ocasião, foi-lhe dito que seria enviada uma notificação ao Persikabo, seu ex-clube, para que liberasse em até três dias os documentos necessários para que ele saísse do país. Caso contrário, o processo de deportação seria iniciado pela imigração, com um pedido formal do brasileiro para deixar a Indonésia.

Com a investigação aberta, porém, a polícia da Indonésia notificou a imigração de que Alex não poderá deixar o país. O brasileiro precisará esperar o fim da investigação ou chegar a um acordo com Bimo Wirjasoekarta, para que o dirigente retire a queixa.

- Gostaria de correr para a embaixada e ficar lá. Estou em desespero total. Não fiz nada, estão tentando me incriminar de qualquer jeito. Se eu cair numa cadeia dessa aqui, não vou sobreviver - completou Alex.

 
 
 

Alex Gonçalves detalha drama vivido na Indonésia com ameaças e retenção de passaporte

Procurada pela reportagem, a embaixada brasileira na Indonésia afirmou que segue acompanhando o caso e fazendo gestões junto ao governo da Indonésia, mas reforçou que a defesa de Alex no caso é feita por um advogado contratado pelo jogador, indicado pela embaixada.

Fifa notifica Persikabo e Federação da Indonésia

A Fifa também entrou no caso. Em e-mail direcionado ao Persikabo e à Federação de Futebol da Indonésia nesta sexta-feira, a chefe de Status dos Jogadores da Fifa, Erika Montemor Ferreira, informou que a situação foi encaminhada ao departamento disciplinar da entidade e pediu cooperação para que tudo seja resolvido.

Carta da Fifa direcionada ao Persikabo — Foto: Reprodução

Veja a carta da Fifa na íntegra:

"Nós nos refereimos ao jogador brasileiro Alex dos Santos Gonçalves, que foi empregado pelo clube entre janeiro e dezembro de 2020.

Neste contexto, foi levado à nossa atenção o fato de que o jogador aparentemente está encontrando dificuldades para normalizar sua documentação perante as autoridades de imigração da Indonésia, sendo impedido de recuperar seu passaporte e/ou deixar o país. Também fomos informados que o jogador está enfrentando um comportamento intimidatório e/ou abusivo do clube, em conexão com disputas prévias perante o tribunal de futebol.

Nós avisamos a vocês que estamos muito preocupados com a possibilidade de tal situação. Portanto, esteja informado de que vamos encaminhar a situação para o departamento disciplinar da Fifa.

Entenda o caso

Alex defendeu o Persikabo em 2020. Devido à pandemia, o clube cortou os salários de jogadores e funcionários em 75% de março a dezembro daquele ano. Quando deixou a equipe, em janeiro de 2021, Alex entrou com uma ação na Fifa, alegando que não houve acordo para a redução salarial, e venceu. O Persikabo foi notificado de que deveria pagar cerca de 60 mil dólares a Alex.

Decisão Fifa Alex dos Santos Gonçalves — Foto: Reprodução

Decisão Fifa Alex dos Santos Gonçalves — Foto: Reprodução

Entretanto, o presidente do Persikabo, Bimo Wirjasoekarta, ainda não assinou o EPO. Ele buscou acordo com Alex. Em reunião, cujo áudio foi publicado pelo ge, o dirigente exigiu que o brasileiro retirasse a ação na Fifa para que documento fosse assinado.

- Você quer que eu assine a carta. Sem problema, eu assino. Mas você tira a ação na Fifa. Se não, nós vamos te processar, você vai perder seu contrato, você não vai jogar futebol e você vai para a cadeia. É isso. Fácil - ameaçou Bimo, em trecho da reunião.

Veja a íntegra da conversa:

 
 Veja a íntegra da conversa entre Alex Gonçalves e o presidente do Persikabo

- Não há problema para eu assinar o EPO, mas Alex, desde o início, não quis me ver pessoalmente e falar sobre este problema. Antes de falar comigo, ele postou nas redes sociais. (Para assinar o EPO), ele precisa me ver e esclarecer a situação. Minha própria reputação pessoal foi danificada. Meu futuro no futebol está em questão por causa do post dele, a imagem do clube nacional e internacionalmente está ruim. Assassinato de caráter através de falsas acusações é um crime na Indonésia - disse Bimo ao ge.

Veja o post que motivou a denúncia:

 
 

Em entrevista ao ge, Alex demonstrou temor com a situação. Ele citou que o Persikabo tem influência na polícia local e mostrou medo com o que pode lhe acontecer. O brasileiro relatou que evitado sair de casa e até pintou o cabelo para não ser reconhecido.

- Estou com medo, né? Meu ex-clube é militar, tem certa influência na polícia. Estou me sentindo com medo de sair na rua, que algo possa acontecer comigo. Eu estou com medo de ir na polícia e algo acontecer comigo, porque eu não estou no meu país. Não me sinto seguro em ir num lugar no qual não sei o que pode acontecer comigo - disse Alex.

FONTE/CRÉDITOS: Redação da Foot Brazilian World
Comentários: